sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Parlamentares debatem responsabilidades por crescimento da violência

Resultado de imagem para silvio costa filho
COSTA FILHO – “2017 pode ser o ano mais violento da história de Pernambuco”. Foto: Roberto Soares
A criação de uma comissão suprapartidária para discutir a questão da violência no Estado foi proposta pelo líder da Oposição, Sílvio Costa Filho (PRB), na Reunião Plenária desta quinta (17). O parlamentar criticou o que vê “como falta de comando e de diálogo” do governador Paulo Câmara em relação ao tema. Em resposta, o presidente da Assembleia, deputado Guilherme Uchoa (PDT), afirmou que é preciso dividir responsabilidades com relação à violência, atribuindo o crescimento dos registros também à liberação de presos pelo Poder Judiciário.
“Desde janeiro deste ano, pude visitar mais de 45 municípios e, em todos eles, a questão da segurança é a maior preocupação da população, até mais do que a saúde pública, que infelizmente está um caos”, relatou Costa Filho, que avalia que “2017 pode ter mais de 6 mil assassinatos e ser o ano mais violento da história de Pernambuco”.
“O comércio do Interior está fechando mais cedo e várias instituições bancárias  estão encerrando o atendimento nas agências que foram alvo de assaltos, o que prejudica a economia desses municípios”, exemplificou o petebista.  “Quantos de nós tivemos companheiros assassinados ou vítimas de algum tipo de violência? Na semana passada, o deputado Romário Dias (PSD), foi alvo de um assalto às 18h, numa avenida movimentada do Pina”, mencionou.
Segundo o líder da bancada, a Oposição pediu audiências com o governador, mas não foi atendida. “Não vemos uma palavra firme do Poder Executivo, um gesto de comando para chamar outras lideranças políticas e apresentar uma nova agenda para a área”, considerou o deputado. Sílvio Costa Filho pediu ao presidente da Assembleia a criação de uma comissão suprapartidária na Casa para tratar do tema. “Vamos procurar outros setores, como o Judiciário e os idealizadores do Pacto pela Vida, para repactuar a segurança pública”, sugeriu.

UCHOA – “Poder Judiciário também precisa ser responsabilizado, pois cerca de 40% dos presos são liberados após audiências de custódia”. Foto: Roberto Soares
Em resposta, Guilherme Uchoa informou que teve uma reunião nessa quarta(16),  com o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, e com o líder do Governo, Isaltino Nascimento (PSB). Para Uchoa, também é preciso dividir a responsabilidade sobre a segurança pública com o Poder Judiciário.
“Para se ter uma ideia, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça, em avaliação feita entre agosto de 2015 e junho de 2017, cerca de 40% dos apresentados nas audiências de custódia são soltos. E a violência pode aumentar ainda mais nesses dias porque 1,3 mil presos foram liberados para passar a semana em casa por conta do Dia dos Pais”, pontuou Guilherme Uchoa.  “Temos que pedir ao Judiciário que faça ponderações em situações como essas”, ponderou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Luciano Duque abre dissidência no PT, lança movimento #ForaPaulo e declara voto em Armando

Tendo à frente o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), lideranças políticas ligadas à vereadora do Recife Marília Arraes (...